Seg, 10 de outubro de 2016, 18:00

Semana Acadêmica começa no dia 17 com atividades em todos os seis campi
Portaria do reitor suspende aulas durante os dias do evento
Evento traz em sua conferência de abertura a professora da USP Marilena Chaui, que vai falar sobre a “Universidade operacional ou a servidão voluntária”. (arte: Agência Officina UFS)
Evento traz em sua conferência de abertura a professora da USP Marilena Chaui, que vai falar sobre a “Universidade operacional ou a servidão voluntária”. (arte: Agência Officina UFS)

Entre os dias 17 e 21 deste mês acontece em todos os seis campi da Universidade Federal de Sergipe a 3ª Semana Acadêmico-Cultural (Semac). O evento é uma oportunidade para que alunos e professores apresentem seus trabalhos tanto para os que compõem a instituição quanto para a sociedade sergipana. Além disso, a Semac conta com apresentações artísticas e culturais. Portaria do reitor suspende as aulas em todos os campi durante a semana do evento.

Visite a página da 3ª Semac com a programação completa

A abertura ocorre às 8h30, do dia 17, no auditório da Reitoria, campus de São Cristóvão, com a conferência da professora da Universidade de São Paulo (USP) Marilena Chaui intitulada “Universidade operacional ou a servidão voluntária”.

Segundo a pró-reitora de Extensão Conceição Almeida, presidente da Comissão Organizadora, esta terceira edição tem um grande significado, pois é uma oportunidade de a UFS estreitar seus laços com a comunidade em que está inserida.

“É um momento no qual a universidade para suas atividades e realiza outras, como é o caso da Semac, com o objetivo de socializar, de mostrar à sociedade sergipana o que a universidade produz, o que estuda, pesquisa, qual a nossa intervenção na sociedade”.

Ela acredita que o diferencial desta edição é que toda a programação, como oficinas, minicursos e workshops, além dos encontros voltados à pesquisa e extensão, acontecerão de forma descentralizada.

“Teremos apresentações nos campi de São Cristóvão, Aracaju (HU), Lagarto, Itabaiana, Laranjeiras e Nossa Senhora da Glória – que apesar de ser um campus novo, já conta com diversas atividades. Também contaremos com a participação do Centro de Educação Superior a Distância (Cesad) e do Colégio de Aplicação (Codap) - neste caso, numa maneira de estreitar ainda mais a relação com a educação básica”.

Apoio

Conceição diz que organizar um evento que se estende por todos os campi é um desafio, mas ao mesmo tempo muito gratificante. Ela também ressalta o apoio que recebeu de todos os que compõem a universidade.

“Na verdade acabou sendo fácil realizar este trabalho, pois quando se tem uma equipe que torna o trabalho coletivo, o peso é menor. Não tive tanta dificuldade por ter contado - e ainda estar contando - com o apoio de todos os envolvidos. O apoio da Reitoria tem sido fundamental para que este evento possa ser significativo e tenha o êxito esperado”, explica a professora.

Para o reitor Angelo Antoniolli, a Semac serve como uma prestação de contas de todos os professores e alunos - que participam tanto da iniciação científica e da pós-graduação quanto da extensão – à comunidade acadêmica e à sociedade de maneira em geral. Ele lembra que 45 programas de mestrado e 15 de doutorado da UFS estão inseridos nesse contexto de produção.

“Esta efervescência é própria da universidade pública brasileira e é por isso que produzimos cerca de 90% dos conhecimentos gerados em todo o país, e em Sergipe mantemos essa similaridade”.

O reitor diz ter muitas expectativas em relação à terceira edição da Semac e acredita que esta será uma das mais “prodigiosas pelo fato de integrar debates sobre a Educação, Saúde, Filosofia, lembrando que o XVII Encontro Nacional de Pós-Graduação em Filosofiaacontece dentro da Semana Acadêmica”.

“Estamos caminhando a passos largos na construção de saberes e precisamos compartilhá-los. Essa sem dúvida é nossa maior expectativa”, complementa.

Integração


Para o reitor Angelo Antoniolli, a efervescência desencadeada pela Semac é própria da universidade pública brasileira. "E é por isso que produzimos cerca de 90% dos conhecimentos gerados em todo o país, e em Sergipe mantemos essa similaridade"
Para o reitor Angelo Antoniolli, a efervescência desencadeada pela Semac é própria da universidade pública brasileira. "E é por isso que produzimos cerca de 90% dos conhecimentos gerados em todo o país, e em Sergipe mantemos essa similaridade"

Para o reitor Angelo Antoniolli, a efervescência desencadeada pela Semac é própria da universidade pública brasileira. "E é por isso que produzimos cerca de 90% dos conhecimentos gerados em todo o país, e em Sergipe mantemos essa similaridade".

O pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa Marcus Eugênio Oliveira Lima afirma que os eventos que compreendem a Semac são de fundamental importância para a UFS e o fato de integrarem essa semana ajuda a destacar o tripé ensino, pesquisa e extensão.

“A importância desses encontros é que você tem toda a produção de conhecimento realizada na universidade durante o ano apresentada à comunidade, tanto interna quanto externa, em termos de cultura, ciência, extensão e inovação. E além de ter acesso, a comunidade tem a oportunidade de discutir, criticar e dialogar sobre essas produções”, explica.

Marcus Eugênio destaca que a Semana Acadêmico-Cultural passa a ser cada vez mais ampla e integradora, e agora já começa a fazer parte da cultura da universidade e, em decorrência disso, os professores, alunos e técnicos administrativos estão mais voltados para a Semac.

“Na primeira edição da Semac enfrentávamos dificuldades em implantar o evento como parte da cultura da UFS, pois havia muita dúvida em relação a suspensão de aulas, como funcionaria, entre outras questões. Hoje, a Semac se tornou uma ação que quebra a rotina da universidade”.

Na alçada da Posgrap estão o Encontro de Iniciação Científica, Encontro de Pós-Graduação e o Encontro de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico. O Encontro de Iniciação à Extensão é um evento ligado à Proex.

Visite a página da 3ª Semac com a programação completa

Encontro de Iniciação Científica

Em relação ao Encontro de Iniciação Científica (EIC), que chega a sua 26ª edição, o pró-reitor afirma que estão inscritos 1.244 trabalhos, e isso, segundo ele, mostra a força do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) da UFS. “O Pibic é um programa com sucesso bastante significativo. Funciona desde a entrada do aluno, dando mais oportunidade de acesso a atividades de formação e pesquisa, até a capacitação que traz para o estudante. Mais de 60% dos que atuam na área de pós-graduação vieram do Pibic”, enfatiza Marcus Eugênio.

Encontro de Pós-Graduação

O Encontro de Pós Graduação (EPG) chega a sua 8ª edição. Marcus Eugênio diz que a receptividade deste ano foi uma surpresa. “O EPG nos surpreendeu porque durante nossa gestão ainda não havíamos conseguido retomar esse encontro que acontecia sistematicamente na gestão anterior, e é um evento muito importante. Esta retomada mostra a força do encontro já que teremos 341 comunicações que serão apresentadas por alunos e professores que integram os 63 cursos de pós-graduação da UFS”.

Encontro de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico (Pibiti) está crescendo e se qualificando na UFS. É o que afirma o pró-reitor Marcus Eugênio. O Encontro de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico (EIDT) alcança a oitava edição.

“Inicialmente nós crescemos de maneira significativa e agora a gente começa uma fase de consolidação dos processos e produtos de inovação tecnológica”, ressalta. O EIDT envolverá a apresentação de 130 comunicações.

Encontro de Iniciação à Extensão

O Encontro de Iniciação à Extensão (EIX), que este ano chega a sua 4ª edição, é uma ação que, desde a primeira Semac, se preocupou em integrar as apresentações dos trabalhos do Pibic e Pibix, diz Marcus Eugênio. Ainda segundo o pró-reitor, este trabalho foi realizado pelo fato de serem duas formas fundamentais de produção e aplicação do conhecimento científico. No EIX serão apresentados 325 trabalhos.

“Se pensarmos no tamanho da universidade, que tem cerca de 30 mil alunos entre cursos presenciais e a distância e mais de 1.500 professores e técnicos, resultando em uma comunidade acadêmica com mais de 33 mil pessoas, teremos na Semana Acadêmica mais de 2 mil comunicações, incluindo apenas pós-graduação, Pibic, Pibiti e Pibix, sem colocar na conta todos os outros eventos agregados por cada departamento”. Segundo o pró-reitor, isso mostra a força de mobilização da Semac dentro da UFS.

Encerramento e premiação

O encerramento da Semana Acadêmico-Cultural acontece no dia 21 de outubro às 15h quando haverá a premiação dos trabalhos apresentados nos encontros do Pibix, Pibic e Pibiti.

Por Dentro da UFS


Pró-reitores Marcus Eugênio (esq.), da Posgrap, e Jonatas Meneses, da Prograd: integração entre ensino, pesquisa e extensão é a marca da Semac.
Pró-reitores Marcus Eugênio (esq.), da Posgrap, e Jonatas Meneses, da Prograd: integração entre ensino, pesquisa e extensão é a marca da Semac.

Entre os eventos da Semana Acadêmico-Cultural está o “Por Dentro da UFS” que, segundo o pró-reitor de Graduação Jonatas da Silva Meneses, tem como objetivo apresentar a universidade aos alunos de escolas públicas. “A ideia é dar oportunidade a esses estudantes de conhecerem nossas instalações, nossos laboratórios e já inseri-los no contexto científico da UFS”.

A programação traz mesas de discussão, oficinas, apresentação artística, entre outras atividades. Entre as propostas de debate está a mesa de discussão intitulada “Deficiência não é incapacidade, mas sim limitação”, com a participação de Lucas Alves Aribé, jornalista e vereador por Aracaju, e Jéssica Vieira da Silva, jornalista da Ascom/UFS.

Segundo Jonatas, o propósito da mesa é estender o debate sobre inclusão que já vinha sendo feito pelo “Curso introdutório: ensinando e aprendendo mediante pessoas com deficiências”, organizado pela própria Prograd.

“Pretendemos continuar esse debate trazendo especialistas sobre o assunto. Também é importante lembrar que a UFS abre anualmente – ou semestralmente, a depender do curso – uma vaga para alunos com deficiência”.

O “Por Dentro da UFS” inclui uma apresentação artística do Grupo de Dança da UFS no hall da Reitoria, coordenada pelo professor do Núcleo de Dança Fernando Davidovitsch, e uma discussão sobre “Sexualidade, diversidade e educação”, ministrada por Mônica Cristina Silva Santana, professora do Departamento de Ciências Sociais (DCS), e Marcos Ribeiro de Melo, professor do Departamento de Psicologia (DPS). Veja a programação completa no site da Semac.

Destaques dos campi

Durante a Semana Acadêmico-Cultural, de 17 a 21 de outubro, atividades acontecerão por todos os seis campi da UFS. O campus de São Cristóvão vai abrigar a conferência de abertura com Marilena Chaui.

As atividades também vão abarcar o Centro de Educação Superior a Distância (Cesad) e o Colégio de Aplicação (Codap).

“A participação do Codap é fundamental porque é um colégio que tem uma trajetória de formação dentro da UFS, além de ser um grande laboratório de formação docente”, explica Conceição. Em relação ao Cesad, a presidente da Comissão Organizadora afirma que a Semac é uma chance de estreitar os laços com a educação a distância no sentido de trocar experiência e de disseminar o conhecimento.

Abaixo, listamos algumas atividades que acontecerão em cada campus. Para a programação completa de todos os campi (inclusive do Codap), viste o site da Semac.

Campus de Aracaju (HU)

O Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU/UFS) conta, assim como os demais campi, com atividades durante a Semac. Entre seus eventos, o Departamento de Farmácia (DFA) oferta uma palestra intitulada “Prática de Meditação do Ângelus”, que acontece no dia 17 às 18h no auditório do CCBS. O Departamento de Enfermagem (DEN) organiza o minicurso “Quero aprender, quero repassar: amamentação faz a diferença na qualidade de vida da população”, ministrado pela professora Maria Viana Rêgo, que será realizado no dia 19 das 8h às 12h na sala de aula no campus da Saúde. Entre a programação do Departamento de Fisioterapia (DFT), está o “II Encontro de egressos: investindo na carreira profissional”, que acontece no dia 21 das 14h às 17h no auditório do CCET.

Campus de Itabaiana

O campus de Itabaiana, que recentemente completou 10 anos, conta no dia 19 às 17h na sala de aula D002 com a "Exposição sobre a História dos Video-Games", organizada pelo Departamento de Sistemas da Informação (DSI) e sob coordenação da professora Mai-Ly Vanessa Almeida Faro. Já o Departmento de Educação (Dedi) organiza uma mesa redonda intitulada "Formação docente: gênero, sexualidade e educação das relações étnico-raciais", que acontece no primeiro dia da Semac, 17, das 18h às 20h no miniauditório, sob coordenação da professora Lívia Rezende Cardoso. Além dessas atividades, o campus do Agreste oferta palestras, oficinas e exposição de trabalhos durante todo o período da Semac.

Campus de Laranjeiras

Unidade que abriga os cursos de Arqueologia, Arquitetura e Urbanismo, Dança, Museologia e Teatro, a programação de Laranjeiras inclui uma mesa-redonda logo no primeiro dia tratando da “Arqueologia em Sergipe” e um curso sobre Urbanismo e Resistência ministrado entre os dias 18 e 20 das 13h às 18h e no dia 19 das 8h às 13h. Nos dias 18 e 19 haverá ainda o I Ciclo de Palestras do Campus de Laranjeiras.

Campus de Lagarto

O campus da área de Saúde localizado na região Centro-Sul traz em sua programação diversas atividades ligadas aos cursos de Educação em Saúde, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Nutrição, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Entre as atividades constam o Nutricine, que no dia 19 das 13h às 17h exibirá filmes com temas sobre alimentação e nutrição, e o “II Fórum de saúde integral da pessoa trans: a emergência das mudanças sociais e adequação dos serviços de saúde”, que ocorre entre os dias 20 e 21 das 8h às 17h.

Campus do Sertão

O campus situado em Nossa Senhora da Glória traz em sua programação um minicurso intitulado “Programa de Sanidade Animal no Brasil” nos dias 18 e 19 das 14h às 16h. Durante todos os outros dias (17 a 21) serão ministrados palestras e minicursos, além de outras atividades contemplando os cursos de Ciências Agrárias, Medicina Veterinária, Engenharia Agronômica, Zootecnia e Agroindústria.

Entrevista


Segundo a pró-reitora de Extensão Conceição Almeida, presidente da Comissão Organizadora da Semac, o objetivo do evento é "socializar, mostrar à sociedade sergipana o que a universidade produz, o que estuda, pesquisa, qual a nossa intervenção na sociedade”. (fotos: Adilson Andrade/Ascom-UFS)
Segundo a pró-reitora de Extensão Conceição Almeida, presidente da Comissão Organizadora da Semac, o objetivo do evento é "socializar, mostrar à sociedade sergipana o que a universidade produz, o que estuda, pesquisa, qual a nossa intervenção na sociedade”. (fotos: Adilson Andrade/Ascom-UFS)

Veja abaixo a entrevista com a pró-reitora de Extensão Conceição Almeida, presidente da Comissão Organizadora da 3ª Semac.

- Qual a importância da Semac para a UFS?

A Semac, que está em sua terceira edição, tem um significado muito grande para a UFS porque é um momento no qual a universidade para suas atividades com o objetivo de socializar suas ações, de mostrar à sociedade sergipana o que a universidade produz, o que estuda, pesquisa, qual a nossa intervenção na sociedade, os projetos que desenvolve. Então é um momento de fundamental importância, principalmente pela oportunidade de estreitar mais a relação com a sociedade sergipana.

- O que destacaria na programação desta terceira edição?

Todas as atividades são importantes. Temos oficinas, minicursos e workshops organizados pelos departamentos e os encontros de iniciação à extensão, iniciação científica, iniciação em desenvolvimento tecnológico e pós-graduação. Uma particularidade da edição deste ano é que esses eventos acontecerão de forma descentralizada. Teremos apresentações nos campi de São Cristóvão, Aracaju (HU), Lagarto, Itabaiana, Laranjeiras, Nossa Senhora da Glória – que apesar de ser um campus novo, já conta com diversas atividades. Também contaremos com a participação do Cesad, do Colégio de Aplicação (Codap), neste caso, numa maneira de estreitar ainda mais a relação com a educação básica. Uma novidade para qual gostaria de chamar atenção é a transmissão online - tanto da abertura quanto do encerramento da Semac.

- Quais as dificuldades em coordenar um evento que integra todos os campi da UFS?

É um desafio, mas ao mesmo tempo é muito gratificante. Além disso, temos contado com o apoio efetivo de todos que compõem a universidade. Da gestão, dos diretores de centro, dos colegas de departamento, dos núcleos, das unidades administrativas, das pró-reitorias. Então, na verdade, acabou sendo fácil realizar este trabalho, pois quando se tem uma equipe que torna o trabalho coletivo, o peso é menor. Não tive tanta dificuldade por ter contado - e ainda estar contando - com o apoio de todos os envolvidos. O apoio da Reitoria tem sido fundamental para que este evento possa ser significativo e tenha o êxito esperado.

- Qual a expectativa para esta terceira edição da Semac?

A expectativa é que seja um evento recheado de muita discussão e debates que tragam frutos. Esperamos também que a sociedade participe, se envolva, enfim, que de fato a gente consiga ter uma semana de reflexões na universidade e de interação com a sociedade que acredito ser o nosso papel social como universidade pública.

- Qual a importância de integrar na Semac os diversos eventos realizados pelas pró-reitorias da UFS?

Antes de a Semac ser desenvolvida, cada pró-reitoria fazia seu evento de forma separada. Com a instituição da Semac, esses eventos passaram a compor a Semana Acadêmica, o que foi muito importante porque facilitou bastante na questão de tempo e recursos. Outra coisa importante é que hoje temos trabalhado de forma muito integrada entre a pesquisa, a extensão e a graduação. Por exemplo, as exposições e apresentações dos alunos que submetem seus trabalhos para encontros de iniciação à extensão e à pesquisa acontecem na mesma sala. A área de graduação também está envolvida com a atividade “Por Dentro da UFS” em que as escolas de ensino médio vêm para a universidade. E foi a Semac que facilitou tudo isso.

- Considerando o fato de a universidade ser uma instituição pública, e portanto receber financiamento público, podemos dizer que um dos principais objetivos da Semac é mostrar para a sociedade sergipana os resultados das pesquisas, ou seja, dar evidência ao conhecimento produzido dentro da UFS? Qual a importância disso?

Um dos nossos objetivos é compartilhar com a sociedade esses resultados e o que a universidade faz, e também mostrar como a própria sociedade está envolvida nisso. As atividades não são feitas para a sociedade, mas com a sociedade. Então não queremos apenas a participação dos professores, mas que toda a comunidade participe para mostrarmos o que tem sido desenvolvido pela UFS, em relação ao conhecimento científico, à pesquisa, à produção acadêmica e a todas as atividades que são realizadas dentro da universidade pública que, de fato, tem esse compromisso de dar um retorno para a sociedade e de envolvê-la em todo esse processo de produção de conhecimento.

Guilherme Almeida (bolsista)

Luiz Amaro

comunica@ufs.br


Atualizado em: Seg, 10 de outubro de 2016, 18:06
Notícias UFS