Seg, 10 de outubro de 2016, 21:15

Marilena Chaui participa da abertura da Semana Acadêmico-Cultural da UFS
Ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro participa de encontro de Filosofia, que ocorre durante a Semac
XVII Encontro Nacional de Pós-Graduação em Filosofia, considerado o maior da área na América Latina e um dos três maiores do mundo, é um dos eventos que congrega a 3ª Semac, que ocorre de 17 a 21 de outubro. (arte: Anpof)
XVII Encontro Nacional de Pós-Graduação em Filosofia, considerado o maior da área na América Latina e um dos três maiores do mundo, é um dos eventos que congrega a 3ª Semac, que ocorre de 17 a 21 de outubro. (arte: Anpof)

A professora da USP Marilena Chaui participará da abertura da 3ª Semana Acadêmico-Cultural da UFS (Semac) em 17 de outubro, às 8h30, no auditório da Reitoria, campus de São Cristóvão. Ela irá proferir a conferência “Universidade operacional ou a servidão voluntária”.

A professora virá a UFS como uma das participantes do XVII Encontro Nacional de Pós-Graduação em Filosofia, considerado o maior encontro da área na América Latina e um dos três maiores do mundo. A ser realizado de 17 a 21 de outubro, o encontro é um dos eventos que congregam a Semac, que também ocorre na mesma semana.

Irá participar ainda do encontro de Filosofia o professor da USP Renato Janine Ribeiro, ex-ministro da Educação, dentre outros. Janine Ribeiro vai proferir a palestra “Maquiavel para pensar a República” no dia 18 à tarde no auditório da Didática V (e não mais no auditório da Reitoria, como informado anteriormente). Outra alteração: o professor Vladimir Safatle não virá mais para o evento.


Professora Marilena Chaui virá a UFS como uma das participantes do encontro da Anpof. Ela vai proferir a conferência de abertura da 3ª Semac intitulada “Universidade operacional ou a servidão voluntária”. (foto: Creative Commons/Wikimedia)
Professora Marilena Chaui virá a UFS como uma das participantes do encontro da Anpof. Ela vai proferir a conferência de abertura da 3ª Semac intitulada “Universidade operacional ou a servidão voluntária”. (foto: Creative Commons/Wikimedia)

A organização do evento é resultado de uma parceria entre a UFS e a Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia (Anpof). A maior parte das atividades acontecerá no campus de São Cristóvão, principalmente nos prédios das Didáticas V e VI (e não Didática IV, como informado anteriormente), nos períodos da manhã e tarde. A parte da noite será dedicada à programação cultural.

Segundo Antônio Carlos dos Santos, professor do Departamento de Filosofia (DFL) e coordenador da comissão organizadora local, o evento é o momento em que a comunidade filosófica brasileira se encontra para discutir problemas nacionais, políticos e religiosos que envolvem direta ou indiretamente toda a população.

O coordenador ainda ressalta que esta é a segunda vez que o evento da Anpof é sediado por um estado do Nordeste - na primeira vez Salvador foi o palco do encontro. “Então, penso que é um privilégio para Sergipe e para a UFS poder acolher os professores de Filosofia do Brasil e do exterior. Além disso, os alunos terão a oportunidade de ter acesso às bibliografias de todos esses professores e interagir com pessoas que são vistas como referências por muitos da área de Filosofia”, diz Antônio Carlos.

Lançamento de livros

O professor lembra que haverá uma feira de livros na Vivência, no campus de São Cristóvão, todos vendidos pela metade do preço. Por fatores como logística, e pelo tamanho do evento, ele não ficará restrito apenas aos muros da universidade. Também serão lançados cerca de 130 livros no Museu da Gente Sergipana. Pela noite acontecem na orla apresentações folclóricas durante todos os dias da programação.

“A expectativa é a melhor possível. Teremos cerca de 60 monitores ajudando no trabalho, além de outros colegas e alunos que também estão colaborando”.

A programação inclui debates propostos por grupos de trabalhos (GT’s) sobre os mais variados assuntos ligados tanto à história da filosofia quanto à ética, gênero, direito e contemporaneidade, e aos pensamentos de grandes teóricos da área.

Inscrições

As inscrições para apresentação de trabalhos já estão encerradas, mas ainda estão abertas para ouvintes. Para realizar a inscrição e saber mais a respeito das taxas e a programação completa, acesse o site da Anpof.

Segundo a organização, cerca de 2.500 pessoas se inscreveram.

Entrevista


Para o professor Antônio Carlos dos Santos, coordenador da comissão organizadora local, o evento da Anpof é o momento em que a comunidade filosófica brasileira se encontra para discutir problemas nacionais, políticos e religiosos que envolvem direta ou indiretamente toda a população. (foto: Adilson Andrade/Ascom-UFS)
Para o professor Antônio Carlos dos Santos, coordenador da comissão organizadora local, o evento da Anpof é o momento em que a comunidade filosófica brasileira se encontra para discutir problemas nacionais, políticos e religiosos que envolvem direta ou indiretamente toda a população. (foto: Adilson Andrade/Ascom-UFS)

Leia a entrevista com o professor Antônio Carlos dos Santos sobre o XVII Encontro Nacional de Pós-Graduação em Filosofia.

- Qual a importância para a UFS sediar o XVII Encontro Nacional de Pós-Graduação em Filosofia?

Penso que o encontro é extremamente importante por ser o momento em que a comunidade filosófica brasileira se reúne e discute os problemas não só filosóficos, mas políticos, religiosos que envolvem direta ou indiretamente a gente. Então penso que é importante por isso. Em primeiro lugar, o evento agrega a cada dois anos a comunidade filosófica brasileira. Em segundo lugar, é a segunda vez que o encontro da Anpof acontece no Nordeste – a primeira foi em Salvador. Então é um privilégio para Sergipe e para a UFS acolher os professores e os pesquisadores de Filosofia do Brasil e do exterior. E em terceiro lugar, penso que é importante o fato de os estudantes terem acesso à bibliografia de muitos desses professores que conhecemos por textos, pelas referências. Eles estarão aqui. Então poderemos conversar com a Marilena Chaui, poderemos tirar foto com Renato Janine Ribeiro, ex-ministro da Educação. Esses nomes – estou citando alguns – e também amigos, estudantes de todas as regiões do país estarão aqui. Possibilitar esse encontro junto com os alunos é de uma riqueza fabulosa, é um privilégio. Então eu chamaria atenção a esses aspectos que denotam o tamanho da importância para a UFS de sediar esse evento.

- O evento destacará algum tema específico?

O encontro não possui um tema específico porque é uma reunião de programas de pós-graduação que se reúnem em GT’s (grupos de trabalhos) que são livres para poderem se organizar da melhor forma. Dentro do encontro da Anpof existe uma programação destinada ao ensino médio. É quase um evento dentro do evento, voltado aos professores de Filosofia (dos ensinos médio e fundamental) e que apresentam diferentes experiências de conteúdos metodológicos sobre ensino de Filosofia. Essa parte voltada ao ensino médio penso que será bastante discutida por causa da polêmica envolvendo a reforma do ensino médio. Acredito que muita gente irá discutir, vai ser um ponto bem delicado por causa do momento político do país.

- O evento também contará com convidados vindos de outros países. Qual a importância desse intercâmbio?

Receberemos cerca de 100 convidados estrangeiros. Eles virão mais como observadores, pela troca de experiência, para saber como nos organizamos. Nossa forma de organização é bem peculiar porque em outros países como a França, por exemplo, não existe algo como a Anpof. O que há são associações de comunidades científicas que estudam assuntos específicos, e não um encontro que trate sobre a Filosofia de maneira geral. Então nossa forma de se organizar é muito singular em relação ao resto do mundo. Isso mostra nossa riqueza. É uma forma de aprendermos uns com os outros, e essa experiência é muito boa. E tudo isso sob a perspectiva de diferentes matizes filosóficos, de diferentes concepções, tradições, interpretações. Então, nós teremos aqui um espaço de grande tolerância epistemológica e conceitual, seja por parte dos brasileiros seja por parte dos estrangeiros.

- Qual a expectativa para esse evento que é o maior da área de Filosofia na América Latina?

No princípio é a melhor possível, mas estou muito ansioso, pois, para quem está responsável pela organização, a experiência é diferente. Nunca organizamos um evento tão grande. Neste estou responsável pela organização local, coordenando várias pessoas, várias atividades. A expectativa é a melhor possível. Temos cerca de 60 monitores que vão nos ajudar, além de colegas que na medida do possível estão ajudando. Os próprios alunos de Filosofia estão bem ansiosos para ver os palestrantes, perguntar, tirar fotos. Junto com esse evento temos duas coisas importantes sobre as quais penso ser necessário dar um certo destaque. Primeiro porque o encontro vai acontecer durante a Semana Acadêmica. E dentro do evento teremos um feira de livros com 50% de desconto, livros de coleção, de grandes editoras como a Edusp. Já falei para os meus alunos: juntem dinheiro, é a hora de ampliar a bibliografia. Em segundo lugar, na quarta-feira, 19, teremos lançamento de livros. São 130 livros cadastrados para serem lançados e isso acontece no Museu da Gente Sergipana. A infraestrutura da Anpof é simples e ao mesmo tempo bem distribuída. Existe uma concepção desse encontro de que a Filosofia está vinculada à cultura. Então está vinculada à universidade de um lado e por outro à cultura local. Temos na programação as palestras, debates e apresentações mais propriamente intelectuais e filosóficas que acontecerão nas Didáticas V e VI e, pela noite, as atividades acontecerão na orla com apresentações folclóricas todos os dias. No dia 17 temos a abertura – pela noite – no Teatro Tobias Barreto e nos dias 18,19 e 20 teremos apresentação desses grupos ali no trecho do Centro de Arte e Cultura J. Inácio.

- O que gostaria de destacar na programação?

Gostaria de destacar esses professores eméritos, esses professores importantes como Marilena Chaui, Renato Janine. Penso que é um momento importante para a gente não perder a oportunidade de vê-los aqui tão perto. Também gostaria de destacar o baile das tartarugas que acontece na quinta-feira, 20, no Projeto Tamar. Teremos um baile comemorativo e todos que têm o crachá, que se inscreveram, podem ter acesso.

Guilherme Almeida (bolsista)

Luiz Amaro

comunica@ufs.br


Notícias UFS
Avaliação
UFS é destaque no Enade 2016
Enfermagem e Nutrição (ambos de Lagarto) e Fisioterapia (Aracaju) obtiveram nota máxima; veja nota de outros cursos